O que incluir e o que não incluir no enxoval: PARTE I – Itens muito importantes

Trago aqui um post dividido em três partes! Essa é a primeira, onde coloco os itens que, segundo minha experiência pessoal, foram muito importantes e bem aproveitados. Pode ser que, para outras mães, a percepção seja diferente!

Pode ser também que, não necessariamente, você precise comprar! Alguns artigos podem ser adaptados daquilo que temos em casa!

Mas a proposta é proporcionar um guia para as futuras mães, porque não é nada fácil decidir o que comprar (e o que não comprar)!

Então, vamos lá!

Carregador de bebês: tenha certeza de que comprará um ergonômico (tanto para você como para o bebê). Vejo muitos em que o bebê fica com todo o peso na pelve, enquanto ele deveria ser sustentado pelo bumbum. Slings são opções de carregadores fantásticos e existem vários modelos, sendo os mais comuns o wrap e o de argola. Tenho que declarar… O sling mudou (para melhor) meu puerpério e me acompanha até hoje (filha com 30 meses).

Almofada para amamentação: você pode improvisar com almofadas que já tem ou adquirir alguma que seja específica, mas procure por uma que te dê um apoio para o braço e deixe você relaxar o ombro. É bom que tenha uma capa removível e lavável.

Bebê conforto: a não ser que você não possua carro, esse item é fundamental pois é obrigatório para o transporte de bebês. Também é útil para os primeiros meses em casa e quando saírem. Lembre-se: bebês costumam dormir com o carro em movimento e poder tirá-los do carro com mais facilidade (sem acordá-los) é providencial. Observe se ele tem um tecido que não seja muito quente e precisa ser fácil de limpar, além de ter o selo do Inmetro. Também veja se você conseguirá carregá-lo com um bebê dentro usando uma das mãos (há modelos extremamente pesados).

Poltrona para amamentar: não precisa necessariamente ser um modelo especial, mas tenha um lugar seu, confortável e com braços de apoio para amamentar. Você usará muito!

Trocador portátil: mais importante do que ter um trocador em casa, é ter um minimamente fofinho e fácil de limpar para carregar por aí. Quando saímos, muitas vezes não temos local adaptado para trocar os bebês e, mesmo existindo, é importante forrar com algo que sabemos que está limpo.

Banheira ou ofurô: hoje, muitas pessoas optam pelo balde ou ofurô, que tende a deixar o bebê mais relaxado. Caso você não queira, uma banheira tradicional é muito importante, a não ser que tenha um esquema para sempre dar banho no chuveiro com você. Não vi necessidade de suporte (colocava no chão do quarto), mas a banheira é fundamental.

Kit higiene: aqui incluo garrafa térmica para colocar água quente (ou chá de camomila) para higienizar o bebê ao trocar a fralda, algodão, um pote para colocar a água quente, cotonete (de preferência, aqueles que não permitam que entre todo o algodão no ouvido) e álcool gel. Não precisa ser todo combinando, igual à foto, mas é importante ter objetos que façam essa função!

Fraldas, muitas fraldas: você pode escolher de pano ou descartável, mas fralda é fundamental. Um bebê, no primeiro mês, troca de 6 a 8 vezes por dia. Depois, isso cai para 4 a 6 vezes e, após o sexto mês, ele será trocado em torno de 4 vezes. Pensando que ele desfralda, normalmente, a partir dos 2 anos, você fará em torno de 3300 trocas.

Macacões: pense na época do ano em que o bebê nascerá, mas não se prenda a isso. Tenha alguns macacões bem quentinhos e vários de malha mais fina e de manga comprida. Prefira aqueles com pezinhos removíveis, pois podem ser usados por mais tempo. Também opte por aqueles que fechem na frente, pela praticidade. Os tamanhos e quantidades da roupa são extremamente variáveis. Existem bebês que crescem muito mais rápido e perdem as roupas em poucas semanas. Se eu tenho facilidade para lavar e secar as roupas, também precisarei de menor quantidade. E, dependendo da região ou época do ano em que o bebê nascer, vou ter que adquirir mais peças de inverno ou de verão. Pense que cocô e xixi podem vazar algumas vezes ao longo do dia, além do bebê golfar o leite.

Bodies: igual aos macacões, tenha aqueles de manga comprida, curta e, se for uma época ou região quente, regatas. Fique muito atento ao tamanho da abertura para passar a cabeça do bebê. Existem alguns modelos que são muito justos e bebês odeiam ficar entalados por roupas.

Calças: mais leves e mais grossas, elas podem ser usadas sozinhas ou antes de se colocar um macacão. As opções com pezinhos reversíveis são mais legais do que as fechadas. Mas nada impede que use calças comuns e meias bem quentes nos pés.

Casacos: é importante ter alguns (poucos) casacos que aqueçam e sejam práticos e confortáveis. Cuidado com zíperes que possam machucar ou outros detalhes.

Touca: dependendo da temperatura, uma ou duas toucas são importantes para ajudar a aquecer a cabeça. É importante também para diminuir as oscilações de temperatura entre os ambientes.

Meias: tenha várias, mais quentes e mais finas. O seu bebê não precisará de sapatos, mas as meias serão importantes quando não estiver quente.

Kit para unhas: recém-nascidos nascem com unhas grandes e afiadas. Por isso que se arranham tanto. Então, logo nos primeiros dias, precisaremos aparar suas garras. Eu sempre preferi o cortador de unha, mas há quem use tesoura. A lixa também é importante para tirar alguma pontinha que não conseguimos cortar. Esse item não vejo como adaptar usando o cortador do adulto (haja habilidade e sangue frio).

Fraldas de pano: mesmo que use fraldas descartáveis, as fraldas de pano possuem muitas utilidades. São usadas para envolver o bebê no ofurô, para secar a cabeça que foi lavada antes do restante do corpo (enquanto o bebê está envolvido na toalha convencional), para conter vômitos… Então, tenha, pelo menos, 6 unidades (não precisam ter detalhes ou desenhos).

Babador: geralmente, bebês babam muito após alguns meses, chegando a molhar suas roupas. Para poupá-las, existem os babadores. Evite, pelo menos nesses primeiros meses, aqueles que são plastificados, pois tendem a irritar a pele do bebê. E troque sempre que estiver umedecendo. Tenha vários e práticos (eles precisam, de fato, absorver bem a água). Aqueles que parecem lenços são lindos, mas não são muito funcionais.

Paninhos: sempre tenha um paninho em cada canto da casa (e no carro, na bolsa…), pois você irá precisar deles. Em uma situação de emergência, você não precisará ficar procurando como secar uma saliva, um leite vazando ou limpar uma blusa com leite golfado.

 

Toalhas de banho: se tiver capuz, melhor, mas o importante é que realmente consigam secar bem o bebê.

Jogo de lençol com 2 peças para o colchão: só dispense isso caso realmente faça cama compartilhada sem chance de arrependimento. Não se esqueça de ter roupa de cama para moisés ou mini-berço.

Mantas e cobertores: mesmo não sendo recomendado usar cobertas sem que os bebês estejam supervisionados, para usar ao longo do dia, principalmente quando saímos, ter uma manta é bom. Aliás, conto umas 4, para poder lavar com tranquilidade.

Tapete de EVA: não costumamos pensar nisso como enxoval, mas ter espaços forrados com EVA facilitam deixarmos os bebês no chão desde bem cedo. Prefira aqueles com placas de 1 metro!

 

Tela de proteção para a janela (contra mosquitos): bebês não podem usar repelentes. Então, proteger, pelo menos, o seu quarto de insetos é importante.

Shampoo e sabonete hipoalergênicos: pode ser algum que sirva para corpo e cabelo (é bem mais prático), mas é importante que tenha uma composição simples, sem perfumes e seja menos irritante.

Óleo para massagem: o de amêndoas é uma ótima opção. Praticar shantala auxilia no fortalecimento do vínculo mãe-filho, acalma o bebê e diminui as cólicas.

Sutiãs para amamentação: tenha, pelo menos, 3 unidades. O sutiã convencional também serve, mas, quando o bebê nasce, é importante deixar os seios com o máximo de ventilação. Por outro lado, ficar sem sutiã pode ser desconfortável para a mulher nesse momento. Então, as aberturas facilitam que o seio fique arejado mas com sustentação.

Pijamas confortáveis e que facilitem a amamentação: tenha certeza que você passará boa parte das primeiras semanas usando pijama. Então, que seja confortável para você e prático para amamentar.

Blusas para amamentação: assim que o bebê nasce, você precisará ter roupas que facilitem a amamentação. Eu não planejei isso e tive que improvisar e comprar algumas peças assim que a Manu nasceu. Sair de casa no puerpério é importante, mas nem sempre é prático, então, tenha peças de roupa que facilitem a amamentação. Você não saberá como estará o seu corpo no puerpério, então aposte em opções mais largas. Camisas são boas para amamentar, mas eu sempre tive dificuldades para abotoá-la segurando o bebê.

Mochila para carregar o kit passeio: aqui, nem falo em bolsa porque, para conseguirmos ter um acessório prático para o dia a dia, colocar a mochila nas costas, sem risco de cair, e conseguir segurar o bebê, é muito melhor. Precisa ser mochila especial? Não, necessariamente. As versões adaptadas para mães possuem espaço para colocar diferentes itens, como o trocador, lenço, roupa suja ou molhada.

Lenços umedecidos: não uso lenços em casa, mas, na rua é difícil sair carregando água e algodão. Então, tenha pacotes de lenços para esses momentos.

Lixeira: por mais que não seja legal deixar fraldas sujas no quarto, ter uma lixeira ali ao seu lado durante as trocas fazem toda a diferença. E prefira aquelas que você abre com o pé, pois você precisará das duas mãos.

 

Anúncios


Categorias:Experiências e Vivências

Tags:, , , , ,

6 respostas

  1. Completando

    O livro “a maternidade e o encontro com a própria sombra” da Laura Gutman
    Telefone de consultora de amamentação e grupos de pos parto presencial/virtual
    Colar mordedor

    Curtido por 1 pessoa

Trackbacks

  1. O que incluir e o que não incluir no enxoval: PARTE II – Itens que podem ser importantes
  2. O que incluir e o que não incluir no enxoval: PARTE III – Itens com grande tendência de serem deixados de lado
  3. O que incluir e o que não incluir no enxoval: PARTE III – Itens com grande tendência de serem deixados de lado – Maternidade Sem Neura
  4. O que incluir e o que não incluir no enxoval: PARTE II – Itens que podem ser importantes – Maternidade Sem Neura

Comente esse post! Vamos gostar de ler sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: